Ford Media Center

Neve em Julho ou Uma Vaga de Calor no Natal? A Nova ‘Fábrica do Clima’ da Ford Simula Qualquer Estado do Tempo, em Qualquer Altura

  • A tecnologicamente avançada “Fábrica do Clima” pode simular diversas condições meteorológicas, desde nevões a calor escaldante, ou de elevada humidade a ventos ciclónicos
  • A nova e avançada instalação da Ford assegura que os condutores podem confiar nos veículos que foram objecto das mais exigentes condições que podemos encontrar no Saara, na Sibéria e no cume dos picos alpinos mais elevados
  • A Ford investe mais de 70 milhões de euros na instalação na Alemanha. Descrita como ‘um sonho de qualquer engenheiro’ é o ponto mais quente e mais frio na Europa e o ponto mais elevado na Europa ocidental

O ar cintila como no deserto, enquanto a poucos metros de distância está tão frio que se pode construir um boneco de neve. E há um furacão de categoria 5 na sala ao lado. Bem-vindo à “Fábrica do Clima”.

O novo Centro de Testes Ambientais de última geração da Ford coloca todos os climas do mundo sob o mesmo tecto, permitindo que os engenheiros testem os veículos futuros, desde um pequeno Ford KA+ até uma Ford Transit de duas toneladas, nas condições mais exigentes e que faça o tempo que quiserem a qualquer hora do dia.

Altitudes mais elevadas que o Monte Branco, o pico mais elevado dos Alpes, velocidades do veículo e do vento até 250 km/h, neve, luz do sol intensa e chuva estão entre as condições disponíveis com um simples pulsar num botão no mais avançado centro de testes ambientais automóvel na Europa.

Com uma área do tamanho de um campo de futebol, os engenheiros podem agora levar os veículos em viagens exigentes em todo o mundo, desde o calor do deserto do Saara até ao frio ártico da Sibéria e à alta humidade da Costa Rica.

Pode ver o vídeo aqui: https://youtu.be/FoCWIVIIzTo

“A vasta gama de testes de simulação punitivos permitirá que os condutores Ford estejam confiantes de que seus veículos podem lidar com qualquer zona climática em que vivam”, disse Joe Bakaj, vice-presidente de desenvolvimento de produto da Ford Europa. “Viajar para os quatro cantos deste edifício é como fazer uma viagem aos quatro cantos do mundo, e os nossos engenheiros farão isso permanentemente, todos os dias, para continuar a desenvolver os melhores veículos do futuro.”

Objecto de um investimento de 79 milhões de euros, o centro de testes oferece o primeiro túnel de vento automóvel capaz de simular 5.200 metros, a mesma elevação que o Acampamento Base Norte do Monte Evereste e o primeiro com um conjunto de condições que podem ser simuladas sob o mesmo tecto. A instalação também pode refrigerar duas salas a - 40 ° C e aquecê-las a 55 ° C, além de gerar 95% de humidade. Os extremos de temperatura fazem com que a instalação no Centro de Desenvolvimento de Produto John Andrews da Ford em Colónia, na Alemanha, seja o lugar mais quente, frio e húmido da Europa e o local do ponto mais alto na Europa Ocidental.

Já totalmente operacional, os engenheiros podem trabalhar em até dez veículos diferentes em simultâneo. Os testes abrangem áreas como o conforto, segurança e durabilidade, bem como o desempenho eléctrico, travagem, ar condicionado, reboque, aquecimento do habitáculo e situações de congestionamento de trânsito. Os engenheiros analisam os efeitos dos ventos fortes na carroçaria, verificam a robustez contra a chuva e a neve e observam a rapidez com que um pára-brisas descongela a diferentes temperaturas.

“O Centro de Testes Ambientais representa um investimento significativo para a Ford Europa e ajudará a companhia a desenvolver aqui veículos para os mercados globais,” afirmou Bakaj.

Todos os veículos Ford serão aqui testados nesta instalação, a qual possui três túneis de vento, incluindo um laboratório a alta altitude e quatro câmaras de teste com temperatura controlada, uma das quais permite também testar a humidade:

  • Túnel de vento 1 está configurado para testes de imersão a quente e a frio. Os 28 holofotes com lâmpadas de 4.000 watts ajudam a simular os poderosos raios solares que permitem aos engenheiros verificar a velocidade a que o habitáculo pode ser arrefecido. Este túnel de vento também pode avaliar o ruído interior dos sistemas do veículo em diferentes velocidades, temperaturas e níveis de humidade, para verificar o ruído do aquecimento e ar condicionado
  • Túnel de vento 2 está também configurado para testes de imersão a quente e a frio. Os engenheiros podem usar este túnel de vento para produzir neve e chuva, para verificarem o efeito na visibilidade, arranque do motor e quanto tempo demora a aquecer o habitáculo
  • Túnel de vento 3 é o laboratório de altitude onde os engenheiros podem testar os veículos a ventos a uma velocidade de até 120 km/h e até 5.200 metros. O arranque a frio a alta altitude e os testes de durabilidade asseguram que os líquidos do veículo não rebentam as suas tubagens quando sujeitos a pressões elevadas. Mais de metade dos veículos Ford no mundo inteiro são vendidos em territórios com estradas acima dos 1.000 metros

“Podemos ver como funcionam os limpa pára-brisas a temperaturas típicas do ártico, como muda o desempenho do motor sob calor ou frio extremos ou até quanta neve cai sobre a cabeça do condutor quando abre a porta. É o sonho dos engenheiros,” afirmou Michael Steup, gestor de projecto, Centro de Testes Ambientais, Ford Europa.

No total, a instalação exige 11 megawatts de electricidade, o suficiente para abastecer uma pequena cidade de 2.400 habitantes, proveniente de uma fonte totalmente renovável e ecologicamente correcta. A electricidade fornecida pela RheinEnergie é proveniente de fontes sustentáveis certificadas na Escandinávia e cobre a totalidade das necessidades energéticas das instalações da Ford na cidade.

O inovador centro de testes complementa as instalações de teste que incluem o Campo de Testes da Ford Lommel, na Bélgica, onde se encontra uma pista de teste com buracos, testes de ventos laterais e banhos de água salgada e lama.

CO2 Emission