Ford Media Center

Ford comemora 45 anos do Centro de Desenvolvimento e Tecnologia de Tatuí

  • Pioneiro na América do Sul, o Centro da Ford em Tatuí é referência na engenharia automotiva e hoje também desenvolve projetos globais
  • Além de laboratórios, dinamômetros, garagem de protótipos e áreas de apoio, ele conta com 40 km de pistas de terra e 20 km de pistas pavimentadas – veja o vídeo
  • O seu time de especialistas trabalha em tecnologias de ponta e é reconhecido mundialmente pela competência e talento

     Até o início dos anos 1970, o Brasil não tinha nenhum campo de provas específico para o desenvolvimento de veículos. A única opção das marcas instaladas aqui era testar seus carros nas ruas, ou enviá-los ao exterior. Foi quando a Ford decidiu instalar o Centro de Desenvolvimento e Tecnologia de Tatuí, no interior paulista, que tornou-se referência no setor e este mês completou 45 anos de operação – veja o vídeo.

     A unidade tem hoje um papel estratégico dentro do modelo de negócios da marca na região, como parte do seu ecossistema global de inovação. Além de uma estrutura completa para o desenvolvimento, testes, validações e homologações dos modelos do portfólio atual do Brasil e da América do Sul, ela conta com um time altamente capacitado de profissionais que atuam em projetos globais de veículos e tecnologias da mobilidade do futuro.

     Desde 2018, o Centro de Desenvolvimento e Tecnologia da Ford teve o seu escopo de trabalho ampliado e passou a prestar serviços também para outras empresas, tanto da área automotiva como de outros setores, de forma pioneira na região. Junto com essa mudança foi feita a troca de nome da unidade, que até então era conhecida como Campo de Provas de Tatuí. 

     “Ao longo da sua história, o Centro da Ford em Tatuí teve uma participação importante em todos os projetos de veículos desenvolvidos e lançados na região. Hoje, ele está integrado ao ecossistema global de inovação da marca, com uma estrutura completa e um time de excelência de engenharia que trabalha no desenvolvimento de veículos globais e tecnologias de ponta, reconhecido mundialmente pela sua competência e talento”, diz Marinna Silva, gerente do Centro de Desenvolvimento e Tecnologia da Ford em Tatuí.

Padrão global

     Localizado a cerca de 130 km de São Paulo, o Centro de Desenvolvimento e Tecnologia de Tatuí é um dos sete da Ford no mundo, ao lado dos existentes nos Estados Unidos (três), na Europa, Austrália e China. Sua estrutura de padrão mundial permite testar veículos para o Brasil e também para outras regiões, como Estados Unidos, China e Europa, reproduzindo as condições e os desafios desses locais a partir da correlação de pistas.

     Ele ocupa uma área total de 4,66 milhões de m2, dos quais 3,63 milhões de m2 são de áreas verdes preservadas, com árvores nativas e mais de 360 espécies de animais. Seus 40 km de pistas de terra e 20 km de pistas pavimentadas incluem áreas de alta e baixa velocidade com diferentes tipos de piso e traçados, como areia, cascalho, pedras e lama, além de lombadas, obstáculos, tanque de transposição de água e rampas com até 40º de inclinação.

     O local está preparado para realizar mais de 440 tipos de testes, como avaliação de durabilidade, calibração, desempenho e segurança, além de homologação. Os laboratórios de emissões, desmontagem e análise de peças (Teardown), dinamômetro de motores, vibroacústico e simulador de estradas para avaliação de suspensão (4Poster) realizam testes que atendem a normas nacionais e internacionais. Há também as áreas de suporte, com garagem experimental, montagem de protótipos, almoxarifado, posto de combustível e carregadores de veículos elétricos, incluindo um ultrarrápido de até 60 kW CC e 43 kW CA.

História

     Antes de escolher o local onde seria instalado o seu campo de provas, nos anos 1970, a Ford fez um amplo estudo. Engenheiros da empresa sobrevoaram o interior paulista durante seis meses em busca do terreno ideal. "Pesquisamos também o clima, porque muita chuva poderia atrapalhar os testes. Foi assim que chegamos a Tatuí e à Fazenda Bom Pai, uma área de 180 alqueires que estava à venda", contou Edgard Duílio Heinrich, um dos participantes do projeto.

     Uma segunda área foi adquirida depois e as primeiras pistas foram construídas em 1972, as chamadas "Korean Roads", para veículos 4x4. Desde então, a sua estrutura foi aperfeiçoada e ampliada com seguidos investimentos. O prédio da administração foi concluído em outubro de 1978 – data oficial da inauguração da planta – junto com o primeiro circuito de pistas expressas. No começo dos anos 80, foi criado o Laboratório de Emissões.

     Em 1985, todas as pistas foram reforçadas para o desenvolvimento de veículos pesados. Em seguida foi construída a Garagem Experimental para a construção de protótipos. A cada programa de produto a unidade foi modernizada com novos equipamentos e instalações para atender às constantes mudanças na tecnologia e requisitos de emissões e segurança veicular. Hoje, além da eletrificação, seus avanços incluem a digitalização para o desenvolvimento de veículos conectados e autônomos.

Sobre a Ford Motor Company

A Ford Motor Company é uma companhia global sediada em Dearborn, Michigan, que está comprometida em ajudar a construir um mundo melhor, onde cada pessoa seja livre para se mover e buscar os seus sonhos. O plano Ford+ da empresa para o crescimento e criação de valor, combina suas forças existentes, novas capacidades e o relacionamento sempre ativo com os clientes para enriquecer suas experiências e aprofundar sua lealdade. A empresa desenvolve e fornece picapes, utilitários esportivos, vans e veículos comerciais inovadores da Ford e veículos de luxo da Lincoln, além de serviços conectados. Adicionalmente, a Ford está estabelecendo posições de liderança em soluções de mobilidade, incluindo tecnologia de veículos autônomos, e fornece serviços financeiros através da Ford Motor Credit Company. A Ford emprega cerca de 177.000 pessoas em todo o mundo. Para mais informações sobre a empresa e seus produtos no Brasil, visite o site https://media.ford.com

CO2 Emission